COMUNICAÇÃO: UM PROBLEMA SEM SOLUÇÃO?

Você sabe como comunicar bem suas idéias?

 

É bastante comum observar em empresas, ou  grupos que mantém relacionamento há algum tempo, e detectar que uma das grandes causas de dissociações, desentendimentos ou mal-estar residem na questão do COMUNICAR-SE. Podemos afirmar que o fator comunicação é o “calcanhar de Aquiles” em qualquer ambiente.

 

Mas, será que é possível encontrar alternativas ou estratégias que garantam uma fluidez maior dos diálogos entre as pessoas? Esta pode ser uma resposta positiva se levarmos em conta a disponibilidade de cada um dos envolvidos nesta questão.

 

O que desejo afirmar, com isto é que se cada pessoa fizer a sua parte e conseguir atingir a percepção adequada em relação ao outro, sem deixar que os “ruídos” naturais interfiram na mensagem, é possível melhorar os canais de diálogo.

 

Esta disponibilidade começa no próprio corpo. Segundo uma pesquisa da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, 93% da eficácia da comunicação reside no tom e na intensidade da voz, além dos gestos e expressões corporais. Para a fonoaudióloga da PUC-SP, Leny Kyrillos, “a mensagem que prevalece é aquela transmitida pela comunicação não verbal”. (Fonte; Revista VOCê S/A, maio/09).

 

Portanto, estando mais atento à forma como você age enquanto fala, além das respostas que recebe de seu interlocutor, com certeza sua disponibilidade para comunicar-se favorecerá a compreensão da mensagem, de ambos os lados.

 

Algumas dicas podem ser úteis neste sentido:

 

·         Desenvoltura e clareza na comunicação e dicção. Não basta saber aquilo que se quer falar, é preciso saber como falar e transmitir. Um dos estudos mais importantes do ator é justamente esse: como dar vida e sentido a um texto.

·         Trabalho corporal associado às idéias que se esteja transmitindo. Ou seja, lembrar que não apenas a voz, mas também o corpo fala, e pode ser trabalhado em virtude daquilo que se queira transmitir. Uma pessoa sem consciência corporal pode, ainda que sem querer, perder por completo o interesse de seu receptor, enquanto aquele que mantiver esta consciência pode manter todo receptor interessado em suas palavras do início ao fim de seu discurso. A forma como alguém gesticula, sinaliza o que esta pessoa sente. Por exemplo: uma posição ereta, olhando de frente e braços voltados para quem está falando dá a idéia de acessibilidade e entusiasmo. Já se você cruza os braços ou mantém os ombros caídos, o efeito pode ser contrário ao citado anteriormente. Rosto e boca são agentes importantes de uma comunicação eficiente, portanto não deixe passar uma postura desleixada ou com bocejos.

·         Compreensão das reações das pessoas e adaptação a cada tipo diferente de público é outra forma de atingir o que se deseja. É importante saber interpretar a linguagem corporal da audiência e perceber quando há a necessidade de variar a estratégia de ação adotada para tal ou qual ação comunicativa a ser empregada (de uma simples conversa até palestra ou debate, entre outros). Por exemplo, para determinados públicos, o diálogo precisa ser mais físico, concreto, estabelecendo uma proximidade. Para outros, deve ser mais humorístico. Para outros, ainda, há a necessidade de diminuir o ritmo e explicar com mais calma, ilustrando com mais exemplos. Pois bem, cabe a quem deseja comunicar-se identificar estas questões e fazer a sua escolha. Saber escutar também é prioridade quando se deseja compreender o outro e ser compreendido. Você está aberto às mensagens que recebe? Em primeiro lugar, saiba esperar que a mensagem da outra pessoa seja completada, registre a informação, prestando atenção ao que é dito, antes de devolver a ele(a) sua opinião.  Se você não confia em sua memória, faça anotações ou solicite por escrito o que foi dito. Eficiência de comunicação também pode ser medida pela recordação do que foi dito e compreendido. Manifeste seu interesse pelo outro, ele também pode ter idéias tão boas quanto as suas. Admitindo isto, você estará pronto a ser bom ouvinte, além de bom comunicador. (Fonte www.profissaomestre.com.br)

 

Treino de comunicação é muito parecido com treino de futebol, de musculação ou ciclismo, deve ser realizado com freqüência e mantendo a sua atenção para destacar o que dá certo e o que não dá certo de acordo com o que você executar. É necessário acreditar em melhores resultados, ter disciplina e ter força de vontade!

 

 Boa sorte em seu crescimento. A boa comunicação parte, em primeiro lugar, de você mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>