O “CIRCO” ou o CÍRCULO NO TRABALHO DE EQUIPE?

 

      Todos conhecem ao redor do mundo a maravilhosa forma de expressão e arte do Cirque Du Soleil. A combinação de cor, movimento, habilidade e dramaticidade deixam a nós, leigos na arte circense, boquiabertos com tamanha perfeição de espetáculo.

      Assistindo a um dos vídeos do espetáculo Quidam, que por estes dias de Abril apresenta-se em Porto Alegre/RS, fiquei impressionada com um detalhe que pode ser aproveitado em qualquer um dos ambientes corporativos que conhecemos: a atuação de equipe integrada e perfeita em suas atitudes de cooperação. Observe qualquer uma das partes do espetáculo e verá uma troca de movimentos muito bem articulada e a participação interessada e concentrada de cada um dos colaboradores. O resultado está expresso numa bela expressão de arte e sentimento.

      O que desejo fazer de correspondência, neste sentido, é que em empresas que desenvolvem equipes bem integradas e articuladas percebe-se o mesmo prazer ao constatar resultados perfeitamente impecáveis, enxutos e de qualidade. É a verdadeira obra da equipe cooperativa.

      A consultora Clélia Leão, especialista em etiqueta corporativa, colunista da Revista VOCÊ/SA, escreve em seu texto da edição de Abril/2010: “É um prazer trabalhar com quem cumpre o prometido”. Sim, da mesma forma como é prazeroso assistir a um espetáculo tão sincronizado, também se torna muito motivador fazer parte de um grupo em que cada um faz sua parte e, muitas vezes, ainda compromete-se em ficar atento ao suporte que qualquer colega necessite receber.

      Você pode dizer que é utopia pensar desta maneira. Pode ser! Mas o grupo de circo admirado pelo mundo afora pode muito bem ter começado a partir de uma idéia utópica e hoje percorre o mundo mostrando excelência de trabalho reconhecida por todos nós. Se uma equipe tem o foco no trabalho de qualidade deverá ser motivada a fazer o melhor que pode, dentro de uma sincronia de ações capaz de alcançar a perfeição. Quem não almeja perfeição não atinge a qualidade desejada.

      Um dos conceitos da qualidade é o ciclo de PDCA (Plan, Do, Check, Action). Fazer girar o ciclo é planejar ações, realizá-las, verificá-las para mantê-las ou aperfeiçoá-las. Ou seja, estabelece-se um círculo de ação capaz de atingir, sim, o sonho da perfeição, ou melhor, almejando a perfeição. Não é possível enxergar aqui as cenas do Cirque Du Soleil citadas no princípio deste texto? Com certeza, o mesmo tipo de concepção pode estar sendo aplicado na idealização e concretização de cada um dos espetáculos que eles exibem pelo mundo. Se assim não o fosse, não se encontrariam onde estão hoje.

      E então? Não é possível dizer que uma equipe que circula pela perfeição pode alcançar a beleza de um espetáculo circense? Desculpe o trocadilho, mas ele me parece perfeito para discorrer sobre este tema. Motive sua equipe a almejar a perfeição. Use as cenas do grupo citado, elas ajudam a despertar a vontade se fazer melhor. E mostre que cada um precisa comprometer-se com sua parte no espetáculo!

4 ideias sobre “O “CIRCO” ou o CÍRCULO NO TRABALHO DE EQUIPE?

Deixe uma resposta para Trisha Ash Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>