INOVAR para Sobreviver!

Esta semana o Congresso Internacional sobre Inovação traz nomes importantes do cenário nacional e internacional. Todos eles versarão a respeito de ações necessárias ao aprofundamento deste conceito.

A principal questão em torno da inovação diz respeito à capacidade de improvisar diante de acontecimentos imprevistos e de crise, o que já não á mais uma realidade impossível de se apresentar, visto os últimos acontecimentos do cenário mundial.

O trecho abaixo reproduz algumas idéias de John Kao. Segundo o Jornal Zero Hora 916/11/08): ”Multidisciplinar é o adjetivo certo para Kao: estudou filosofia e formou-se médico na Universidade de Yale, depois fez mestrado e lecionou na Harvard Business School. Além disso, é pianista de jazz reconhecido – passou alguns meses tocando com o genial Frank Zappa, em 1969. O lado artístico pode andar ao lado dos negócios, disse Kao na entrevista concedida a Zero Hora, por telefone, desde o Rio, na sexta-feira à tarde.

ZH – O senhor é pianista, e músico de jazz, e costuma dizer que os jazzistas têm bastante a ensinar aos empresários. O quê?

Kao– Para tocar bem jazz, é preciso ter algumas características. E a principal delas é a capacidade de improvisação. Conseguir criar coisas novas no momento, sob demanda, para fazer as pessoas felizes. É um ótimo modelo para inovação. As habilidades que os músicos de jazz têm são ótimas para as empresas: eles precisam inventar na hora, colaborar com os outros, acreditar que o colega vai fazer algo muito bom quando for sua vez, limpar sua mente de conceitos pré-existentes. Há muita coisa no jazz que se pode usar no mundo corporativo.”

Portanto, o velho chavão do apresentar algo diferente “para atrair o cliente pretendido, hoje tem relação com a possibilidade de agir com certa rapidez, mas com qualidade. O verdadeiro líder, atualmente, é capaz de motivar seus colaboradores a partir do encorajamento a soluções contextualizadas, nem que estas tenham de ser improvisadas conforme o tempo e o espaço dos acontecimentos.

As empresas que desejam crescer devem estar atentas a idéias criativas, capazes de atender às demandas que surgem conforme os cenários que o cliente vier a apresentar. Não haverá mais a idéia do cliente que se adapta ao produto diferente, ferecido para destacá-lo no  empresa, sim, deve a;presentar um roduto capaz de adaptar-se às especificidades que o cliente tem necessidade. E isto inclui a habilidade de improvisação.

Para quem tiver a possibilidade, valerá a pena assitir e envolver-se  a  com as idéias do Congresso sobre Inovação, que ocorre na Fiergs nesta segunda, terça e quarta-feira (17 a 19/11/08). Com certeza teremos muitas idéias a receber e trocar em um ambiente disponível ao diferente, ao inovador, ao facilitador de soluções criativas.

Fonte: ClicRbs (www.clicrbs.com.br)