Cinco Mentes Para o Futuro: Gardner e as Necessidades de Nossa Época

gardner.jpg (20029 bytes)Howard Gardner,é professor de Educação e co-diretor do Projeto Zero, no Harvard Graduate School of Education, e professor adjunto de Neurologia na Boston University School of Medicine.  É autor de inúmeros livros, incluindo “Estruturas da Mente”, “A Criança Pré-Escolar: como pensa e como a escola pode ensiná-la” e, mais recentemente, “Mentes que Criam”.  Autor da Teoria das Inteligências Múltiplas, conceito que revolucionou a forma de conceber a possibilidade de lidarmos com as inteligências, ou seja, as diferentes potencialidades que cada ser humano pode apresentar.

Sua mais recente obra, Cinco Mentes para o Futuro, versa sobre um tema muito procedente em uma época em que todo ser humano sentes-se pressionado a agir de forma cada vez mais veloz e competitiva. Na verdade, Gardner defende o conceito de que esta sociedade exigente necessita de indivíduos capacitados para exercer o potencial mental em cinco dimensões: Disciplinadora, Sintetizadora, Criadora, Respeitosa e Ética.

O aprendizado, hoje, está ligado ao desenvolvimento destas habilidades. Isto, porque, não há mais espaço para os sujeitos que apenas recriam a partir do que já existe. A necessidade premente é de promoção de potencial dos que evidenciam a tendência de ação de forma regrada e sistemática, sintetizando o conhecimento que captam, com criatividade, ou seja, INOVANDO a partir do que percebem ao seu redor.

Além disto, é necessário, cada vez mais, enxergar o OUTRO, respeitando as diferenças e agindo a partir de padrões éticos, de forma a resgatar valores há algum tempo esquecidos pela forma quase selvagem com que a sociedade incentivou o consumo e a competição.

Portanto, ao nos depararmos com a necessidade de integrar pessoas e desenvolver lideranças, temos de refletir sobre os sujeitos que queremos formar, mesmo a partir da mais tenra idade. Educação começa na Primeira Infância, mas prossegue pela vida inteira. A chamadaeducação continuada diz respeito à manutenção de condições para que cada sujeito empreenda e desenvolva suas potencialidades, suas competências.

As competências, hoje, estão ligadas às Cinco formas de pensar apresentadas por este pensador, tão atual e pertinente em seus estudos. Nosso desafio é, mesmo fora da escola há algum tempo, aprender, a cada dia, novas formas de gerir nosso conhecimento, a partir das cinco possibilidades de incentivo e exercício de nosso poder mental.

Será que estmos prontos para incentivar e divulgar entre gestores, entre equipes, entre educadores… as idéias de Gardner, entre outras que às dele tenham correspondência? Vale a pena ler a obra e descobrir. Uma leitura de fácil compreensão, que relaciona fatos atuais e, ao mesmo tempo, traz profundidade científica do autor que, há algum tempo, envolve-se em pesquisas acerca do comportamento humano.

Bibliografia Sugerida: GARDNER, Howard. Cinco Mentes Para o Futuro. Porto Alegre: Artmed, 2007. (159 pág.)

Quociente de Adversidade

A vida atual nos propõe tanta tecnologia e rapidez de soluções que, em muitos momentos, nos vemos frente a pequenas adversidades, como o tempo que um arquivo leva para “baixar” da internet, como se fossem as propostas mais difíceis de serem solucionadas ou suportadas. Ou seja, nós, adultos, estamos cada vez menos “tolerantes” às frustrações do dia-a-dia.

A questão posta, em termos de pensar no sucesso que nossas competências pessoais podem alcançar, é o desenvolvimento de nosso “Quociente de Adversidade”. Mas, o que vem a ser este conceito?

“O americano Paul Stolz, presidente da consultora Peak Learning, passou 20 anos a pesquisar um assunto delicado: o fracasso profissional. Avaliou, principalmente, os motivos que levam profissionais brilhantes, inteligentes e sensíveis ao fundo do poço. Stolz descobriu que, na maioria dos casos, a dificuldade em lidar com adversidades é a grande vilã. Segundo ele, o sucesso está diretamente ligado à capacidade de enfrentar, processar e solucionar dificuldades que surgem inesperadamente na carreira. «Você pode ser brilhante no que faz e gerir muito bem as suas emoções, mas, se o seu mundo se desmorona quando se depara com uma situação adversa, estará a comprometer, certamente, o seu desenvolvimento profissional», afirma ele”. (Dalen Jacomino)

Portanto, uma questão importante para quem deseja alcançar níveis mais elevados em seu trabalho, em sua carreira e, mesmo, em sua vida pessoal, é a busca de crescimento no enfrentamento de toda e qualquer adversidade. Lembre-se: cada pequeno passo dá margem ao uso da habilidade em situações de maior exigência. Desta forma, quando você consegue enfrentar adversidades diárias como resolver o problema do banho quando se atrasa ou encontrar uma solução para o gás que faltou justo na manhã em que você precisava sair de casa mais cedo… certamente estará preprando suas habilidades para encontrar soluções maiores, como o problema em sua equipe, que está comprometendo a produção da empresa, ou a falta de uma pessoa que agregue funções para as quais você já não pode dar conta, além de questões pessoais, como ficar sem as merecidas férias ou decidir se adere a certas propostas de amigos que lhe parecem incompatíveis com seus valores.

Será que seu Q.A. encontra-se em nível elevado o suficiente para trazer-lhe as possíveis soluções dos problemas que precisas enfrentar? Pense nisto. Esta é uma questão fundamental em dias tão exigentes como os que temos vivido!