Trabalho em Equipe… Vale a pena investir nesta idéia!

Quando pensamos em ambientes corporativos, nos deparamos com a necessidade de levar em conta COMO as pessoas se envolverão com a produtividade, o resultado, o atingir as metas. A atitude é mais importante que a meta em si, ainda que esta deva ser bem conhecida daqueles que estão envolvidos com a empresa.

Para que a atitude de grupo seja coesa, integrada e traga resultados efetivos, é necessário que se desenvolva um senso de cooperação, de envolvimento de TODOS pelo bem do TODO. Mas, como investir no desenvolvimento do trabalho de uma Equipe? Como começar? Que motivações utilizar?

O otimismo e o dinamismo de uma equipe, em geral, vai depender de algumas propostas de seus gestores, de suas lideranças:

  • Em primeiro lugar, TODOS devem saber ONDE se quer chegar, ou seja, as METAS devem estar bem definidas e claras para quem está envolvido no trabalho. Não será o esforço ou o bom desempenho de um que garantirá o efetivo resultado, mas o envolvimento e a competência do grupo em si. E estas METAS devem ser atingíveis, passíveis de serem conquistadas, pois são definidas a partir do reconhecimento do potencial da equipe. Meta fora da realidade estabelece pequenos insucessos, que definem os grandes fracassos!
  • Dar o constante FEEDBACK a quem está realizando o esforço pelas conquistas. O “retorno” é uma atitude gestora importante, no sentido de mostrar aos colaboradores o quanto é importante um avaliar e re-avaliar da prática ao longo do processo. É a mais efetiva forma de COMUNICAÇÃO, pois deixa claro COMO se está desempenhando o papel na direção dos objetivos que se deseja atingir.
  • RECONHECER que o outro está atingindo resultados, valorizando seus esforços. Ou seja, cada gesto que manifesta valorização e promove a satisfação do colaborador será uma “mola propulsa” do alcance de mais degraus na subida rumo à evolução que se deseja atingir. E, quando isto é feito em equipe, mobiliza forcas poderosas em termos de motivação.
  • Estabelecer um laço de CONFIANÇA a partir da abertura de um espaço de entre-ajuda, de cooperação em grupo. A equipe que percebe que todos são chamados a envolver-se e oferecer suas visões sobre o que se está realizando adquire níveis de confiança capazes de gerar uma verdaddeira engrenagem, fluida, de atitudes. A ideia é, justamente, a da velha máxima “um por todos e todos por um”, ou seja, quem está bem orientado e capaz de perguntar quando não reconhece soluções, adere a um trabalho coletivo pois sabe que o que é SEU será sempre de TODOS.
  • Mostrar que as pessoas podem sentir-se autônomas para tomar decisões, a partir do delegar responsabilidades e do apoiar realizações produtivas. Criar o espaço para que cada um manifeste seus talentos e execute suas tarefas além do que é básico ou mínimo em sua função. É uma forma de manifestar que se espera que cada um CRIE a partir do que se tem na força do grupo. Podemos chamar isto de uma competição saudável, pois cada um estará interessado em desenvolver o outro a partir da expressão de seus próprios dons e competências.

Enfim… vale a pena trabalhar o grupo no sentido de funcionar como organismo único, como engrenagem que movimenta em conjunto uma mesma “máquina”. Os resultados de um trabalho coeso, comprometido, aparecem na satisfação que o cliente demonstra ao perceber-se acolhido em suas necessidades. Isto, porque, uma equipe bem integrada vai trabalhar pelo objetivo principal da produtividade da empresa: o cliente e sesu objetivos. Além de tudo isto, um grupo que consegue trabalhar em conjunto alcança níveis de qualificação e desenvolvimento muito positivos, pois está sempre direcionado ao crescimento. Pense nisto! Vale a pena investir em sua Equipe!

Você Precisa de “Algo Mais” para sua Equipe?

Podemos comparar um grupo a um organismo vivo, que tem seus níveis de desenvolvimento e suas características próprias. Isto, porque, cada Equipe de trabalho vai crescer ou se estagnar conforme uma série de fatores, entre eles o da liderança positiva.

As pessoas que fazem parte de uma equipe unem-se em termos de objetivos em comum, que podem ser motivadores ou não, dependendo da forma como o líder atuar. Sabe-se, atualmente, que o conceito de liderança é muito mais amplo do que aquele difundido há algum tempo atrás, quando o “chefe” era a figura principal, paternalista, de cujas “ordens” dependiam os demais membros do grupo para que tudo corresse na mais perfeita harmonia. Ser líder, hoje, é promover as pessoas, seus potenciais e as possibilidades de criar, em união, as melhores soluções para problemas ou desafios.

Para que um líder seja, efetivamente, positivo, motivador e promotor de espaços para a manifestação das competências, é necessário que ele próprio reconheça as suas habilidades mais eficazes e aquelas que deverá, ainda, desenvolver. Conhecer-se é atitude fundamental deste processo.

O Coaching Integrado oferece as possibilidades de reconhecimento tanto dos aspectos da liderança de uma equipe quanto das possibilidades do próprio grupo. Ao realizar o COACHING EXECUTIVO qualquer líder pode reconhecer-se e focalizar as competências mais urgentes de serem desenvolvidas. Já o grupo poderá ser levado a participar de algumas sessões de COACHING de EQUIPE e reconhecerem, juntos, que aspectos já funcionam como habilidades, virtudes, e que necessidades de promoção existem em relação àqueles que ainda funcionam de maneira pouco eficaz.

Portanto, não são apenas os líderes que podem se beneficiar de um processo de coaching. Equipes cujos coordenadores, gerentes, diretores ou supervisores estão conectados a uma idpéia de desenvolvimento global acabam por serem beneficiadas com o tipo de focalização ideal para que um grupo caminhe em direção ao crescimento. Pense nisto antes de propor qualquer trabalho para desenvolver sua equipe. O coaching de Equipe pode ser uma solução relativamente rápida e efetiva!